top of page
Buscar
  • Foto do escritorNara Pinski

Pacientes com câncer testam os primeiros anticorpos “projetados por computador” do mundo, fabricados

Anticorpos de 'nano-robôs' podem ser programados para fazer muito mais quando projetados do zero do que quando baseados em anticorpos animais/humanos, diz inventor




Pacientes com câncer estão testando um medicamento feito de anticorpos que foram projetados do zero em um computador em Israel e cujo inventor os “programou” para “decidir” se as células que cercam os tumores são boas ou ruins.


Se o teste, que está em andamento na Austrália, correr de acordo com o planejado, esses anticorpos irão combater as células que ajudam o tumor enquanto aumentam as habilidades das células que inibem o crescimento do câncer.


Seu inventor, Prof. Yanay Ofran, disse que até agora, os tratamentos com anticorpos foram baseados em anticorpos humanos ou animais. Eles são então desenvolvidos em laboratórios e produzidos em massa, mas o produto final mantém as limitações dos anticorpos originais.




Ele disse que essas limitações são removidas quando ele cria anticorpos do zero em um computador e depois os produz a partir de aminoácidos em um processo semelhante à impressão 3D.


“Os anticorpos são muito bem-sucedidos, mas a forma como são usados ​​na medicina hoje utiliza apenas uma fração de sua capacidade”, disse ele ao The Times of Israel.


“Nossa missão é pegar os anticorpos e aproveitar o fato de que são seguros, estáveis, fáceis de usar e podem permanecer na prateleira por anos, para liberar toda a sua capacidade”.

Ofran, um professor da Bar Ilan University, publicou vários estudos revisados ​​por pares sobre seu método de projetar anticorpos em um computador. Eles enfatizam a qualidade “inteligente” dos novos anticorpos.

Isso significa que, em vez de realizar uma única função, como combater um único vírus, eles podem inspecionar o ambiente e agir de maneiras diferentes diante de diferentes tipos de células. Ofran se refere a eles como “nano-robôs”.

O novo tratamento com anticorpo AU-007 é o primeiro anticorpo projetado por computador a entrar em um teste em humanos, disse ele. Ele foi projetado por software de inteligência artificial nos escritórios Rehovot de sua startup Biolojic Design e está sendo testado por sua empresa spin-out Aulos Bioscience. Biolojic está agora trabalhando em vários outros tratamentos.

A descoberta de Ofran resulta de um laborioso processo de pesquisa, que envolve a criação de muitos milhões de anticorpos e o monitoramento de seu comportamento em laboratório.

O software de inteligência artificial de sua equipe analisa os dados sobre como os anticorpos se comportam. “Aprendemos com as observações que coletamos como criar um novo anticorpo que fará exatamente o que queremos”, disse Ofran.

O AU-007 usa anticorpos que podem “sentir” seus arredores e diferenciar entre as células que provavelmente ajudarão ou atrapalharão um tumor com base em características do exterior da célula, como cílios, que são estruturas semelhantes a antenas salientes.

“O que estamos fazendo é usar o anticorpo para identificar as células que eles encontram e ativar as células que podem atacar o tumor enquanto param as células que ajudam o tumor”, explicou Ofran.

Ofran é descendente de um dos cientistas mais conhecidos de Israel. Seu avô, Prof. Yeshayahu Leibowitz, embora mais lembrado por seus escritos religiosos e políticos, foi professor de química orgânica e neurologia e um líder nesses campos durante as primeiras décadas de Israel.

Projetar anticorpos por computador abre a possibilidade de torná-los multifuncionais, como ilustrado pela capacidade do AU-007 de aumentar as células que combatem o câncer, mas fazer o oposto com as células que ajudam o câncer.

“Em vez de apenas procurar um ambiente e reagir sempre com a mesma resposta, estamos produzindo anticorpos que podem agir condicionalmente, ou seja, se as células aparecem de uma maneira que fazem 'x' e se parecem de outra maneira, fazem 'y, '”, disse Ofran.


“Isso abre a porta para terapias mais inteligentes que podem executar planos sofisticados para curar doenças”.

Foto e matéria do Times of Israel



6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page